Antoine Saint-Exupéry  

Desde cedo, e incentivado pela família, Antoine de Saint-Exupéry escrevia e desenhava. Além de piloto militar, o escritor foi um dos primeiros aviadores a trabalhar para o serviço postal francês, estabelecendo várias rotas entre a Europa, a África e a América do Sul (inclusive, passando por diversas cidades do litoral brasileiro, como o Rio de Janeiro).

 

Antes mesmo de escrever sua obra mais famosa, O Pequeno Príncipe (1943), Saint-Exupéry escreveu vários livros: O aviador (1926), Correio Sul (1929), Voo Noturno (1931), Terra dos Homens (1939), Piloto de Guerra (1942) e Carta a um refém (1943/1944), inclusive, ganhou prêmios literários na França e nos EUA.

Em 31 de julho de 1944, Saint-Exupéry partiu para uma missão de reconhecimento na Segunda Guerra Mundial e nunca retornou. O mistério sobre seu desaparecimento pairou por quase sessenta anos quando, em 1998, um pescador de Marselha (no sul da França), encontrou um bracelete com o nome do piloto-escritor gravado, bem como o de sua mulher, Consuelo Suncín.

Soube-se que ele caíra no Mediterrâneo e as buscas não tardaram.

O arqueólogo marinho Luc Vanrell encontrou os destroços do avião pilotado por Saint-Exupéry em seu último voo. "Saint-Ex" - como era chamado por seus colegas de profissão - não deixou filhos. Seus herdeiros são os filhos de Gabrielle d'Agay, sua irmã caçula.

Texto adaptado